PROGRAMA DE CONTROLE E CERTIFICAÇÃO DA

QUALIDADE DE ALIMENTOS

(em implantação)



Missão

 

Controlar a Qualidade nas cadeias produtivas de alimentos de origem animal e vegetal, priorizadas pelo Agropolo inclusive a Ambiental, ou seja: Piscicultura, Olericultura, Fruticultura, Pecuária e Grãos, atendendo a demanda do setor produtivo, com a emissão de Certificação da Qualidade do alimento, in natura ou processado industrialmente, conforme padrões e normas nacionais e internacionais, para que os produtores possam abastecer tanto o mercado interno como o externo.


Ações

 

Selecionar e qualificar os profissionais que trabalharão no Controle e Certificação, dentro do Centro, nas análises, como no campo e nas agroindústrias, visando orientar os empresários quanto aos procedimentos que eliminam riscos de comprometer a qualidade os produtos, ao longo das cadeias produtivas; Desenvolver pesquisas tecnológicas que envolvam a Biotecnologia (Animal e Vegetal) e a Agricultura de Precisão, que garantam a transferência de tecnologia para o setor produtivo nas cadeias produtivas selecionadas para a região, como: Piscicultura, Olericultura, Fruticultura, Pecuária e Grãos.

 

Justificativa    

 

O mercado interno e externo tem exigido produtos que tenham a qualidade certificada. Os consumidores em todo o mundo estão se tornando mais exigentes e consomem produtos que sejam confiáveis quanto à certificação. O setor produtivo tem dificuldades em manter laboratórios próprios e mesmo que tenham condições não podem certificar seus próprios produtos, necessitando assim de laboratórios credenciados e independentes.

 

Os  laboratórios disponíveis e credenciados geralmente têm como objetivos realizar pesquisa ou ensino e se encontram instalados em instituições que não conseguem atender a demanda do setor produtivo, ou seja, a escala da produção, de modo a suprir o mercado consumidor. Por outro lado torna-se necessário que esse laboratório esteja localizado próximo ao local onde ocorre a produção, evitando-se custos elevados de transporte para essa finalidade. Demandas voltadas à exportação de alimentos têm exigido tomadas de decisão no sentido de viabilizar a Certificação da Qualidade.

  
Com esse Centro  de  Controle  e  Certificação  da  Qualidade de  Alimentos,  os produtores 
se sentirão estimulados na organização de cooperativas, associações ou empresas e em
mais qualificação, procurando utilizar as escolas técnicas e superiores para se profissionalizar a fim de atender um mercado cada vez mais exigente.

 

Certamente, a indução do Centro, gerará empregos diretamente em suas atividades, que se dividirão em atividades internas, de  análises, e externas no acompanhamento, controle e monitoramento no campo e nas agroindústrias, em todas as cadeias produtivas priorizadas. Indiretamente também aumentará a demanda de empregos, uma vez que as propriedades rurais deverão investir na produção, com tecnologia adequada e com mais mão-de-obra, contratando tanto pessoas não qualificadas como qualificadas.

 

O setor produtivo regional reconhece a necessidade da tecnologia, da certificação de seus produtos e da orientação do plantio, na colheita, na organização empresarial e na comercial. Certamente o Centro atrairá o interesse de compradores e estimulará a ampliação e instalações  de agroindústrias na região, dinamizando a economia regional.

 

Uma equipe de Jovens Pesquisadores – Recém Doutores, Pesquisadores Seniores, técnicos, estagiários e consultores farão parte da equipe e constituirão a base do Centro, conforme programa de apoio a Centros Emergentes.

 
Esses profissionais darão suporte aos Empresários Rurais e Agroindustriais, na transferência de Tecnologia
e no acompanhamento do manejo nas cadeias produtivas, fazendo as intervenções e análises laboratoriais necessárias, devidamente registradas para se ter a rastreabilidade da produção comprovada, de modo a garantir a certificação da qualidade quando o produto estiver se dirigindo ao consumidor. Se esse procedimento não for adotado, ou seja, se for utilizado somente o laboratório corre-se o risco das análises indicar a não qualidade para consumo, comprometendo toda a produção, sem alternativa para o produtor que terá todo o seu trabalho e investimento perdido.  

 

Resultados Esperados

 

Atração de compradores do mercado interno e externo interessados em produtos que possuam Qualidade Certificada, reconhecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, Ministério da Saúde e Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, FDA (Food And Drug Administration) e IB.

 

Instalação de Agroindústrias na região, uma vez que a matéria prima já se encontra nas proximidades, além do que o Centro (CQA), estará próximo para realizar as análises e acompanhar a qualidade dentro das agroindústrias diminuindo custos e investimentos para as mesmas.

 

Organização dos produtores, transformando-os em empresários rurais, que já demonstraram interesse de investimento em tecnologias processos mecanizados de plantio, colheita, embalagens, transporte, formando cooperativas aptas a abastecer o mercado interno e externo. 

 

Geração de empregos diretos e indiretos, qualificados ou não, com maior renda, principalmente para o homem do campo, fixando-o em seu local de trabalho, com melhor qualidade de vida, aliviando os inchaços das cidades que podem assim melhor planejar e adequar a sua infra-estrutura e serviços sociais.

 

ORGANOGRAMA MATRICIAL DAS CADEIAS PRODUTIVAS PRIORIZADAS PARA A REGIÃO DE ABRANGÊNCIA (30 Municípios) DO AGROPOLO

Maior dinamização da Economia Regional, com diversificação da produção, preservação, conservação e recuperação do meio ambiente, gerando oportunidades para outros setores da sociedade, como comércio e serviços.

 

 


Principais Análises Possíveis de se Executar nos Laboratórios do IBT

 

Laboratórios

 

Clique